Como e Porque os Produtos Animais causaram o Coronavírus

Entenda como e porque os produtos animais estão relacionados com a pandemia do Coronavírus

Sabia que muitas doenças que afetam o ser humano podem ser transmitidas pelos animais? O coronavírus não é uma exceção! Além disso, os alimentos de origem animal podem nos transmitir patologias típicas das espécies criadas como gado. Uma nutrição plant-based não apenas previne esse tipo de risco, como também fortalece o sistema imunológico.

A pandemia que vivemos atualmente foi provocada por uma nova cepa do Coronavírus (COVID-19). Esse vírus se originou na China, mas rapidamente se expandiu pelo mundo inteiro, principalmente devido ao trânsito de pessoas infectadas por turismo, negócios e trabalho.

De onde vem e como surge o Coronavírus?

Primeiro, precisamos parar de disseminar mitos! Ainda existem muitas especulações que perpetuam a versão de um vírus criado em laboratório. Outra hipótese afirma que um profissional teria se contaminado ao manipular um morcego em laboratório. Porém, a comunidade científica já se pronunciou contra essas “teorias de conspiração“.

A propagação da doença pelo sistema respiratório demonstra que essas versões são inverossímeis. De fato, sua origem provem do contato com animais. O epicentro da atual pandemia foi o mercado chinês de Wuhan, no qual são vendidas inúmeras espécies exóticas. Até agora, o morcego e o pangolim continuam sendo os principais “suspeitos” de estender o contágio aos seres humanos.

Esse fato demonstrou novamente que a comercialização de animais traz vários riscos para a saúde humana. De acordo com o professor Cunningham da Sociedade Zoológica de Londres:

“Esses mercados criam as condições ideais para que os vírus sofram mutações e pulem de uma espécie para a outra, inclusive para os seres humanos.”   

Como consequência, China finalmente proibiu o consumo e comércio de animais selvagens. Mas o que dizem os ativistas da causa animal nesse país? Que China é a maior potência a fomentar o consumo de espécies ameaçadas.

Também enfatizam que esses animais são submetidos a todo tipo de maltrato, vivendo em condições indignas e insalubres. São prisioneiros de um sistema produtivo que gera um terrível impacto negativo para o planeta, a natureza e a humanidade.

Uma mentira repetida mil vezes se torna verdade?

Hoje em dia, as fake news estão em todos lados e é preciso ter cuidado para não ser enganad@. A OMS esclarece alguns fatores chaves para entender a doença causada pelo coronavírus COVID-19:

  • O novo coronavírus não é transmitido através das mordidas de mosquito.
  • Nem o frio nem o calor são capazes de matar o vírus.
  • Também não pode ser transmitido mediante objetos, moedas, embalagens, etc.
  • Os animais domésticos ou pets (como cachorros e gatos) não são afetados pelo COVID-19.
  • Ainda não existem vacinas para o vírus nem se conhece uma cura específica para a doença.
  • Alho, óleo de gergelim, álcool e água sanitária: nenhum deles é capaz de matar o vírus.

Ainda não se sabe exatamente como um vírus consegue “atravessar” várias espécies até chegar a infectar um ser humano. Esse processo de mutação é bastante complexo e os cientistas continuam trabalhando para compreendê-lo integralmente.

À medida que se descubram novas informações fiáveis, será cada vez mais fácil e eficaz prevenir novos episódios de epidemias e pandemias de zoonoses. Por enquanto, ficam terminantemente proibidos de funcionar os mercados de animais exóticos.

Esse já é um passo importante para evitar novos surtos de doenças e combater o maltrato a espécies que deveriam estar desfrutando a liberdade no seu habitat natural.

¿Te gusta este contenido? ¡Compártelo! 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Total Page Visits: 84

También Te Podría Interesar:

×
×

Carrinho